Clique no banner e entenda nossa proposta (Instituto de Pesquisa e Promoção dos Estados de Cura)
Veja Aqui (Informações sobre Psicoterapia Reencarnacionista e Terapia de Vidas Passadas)
Veja aqui como a hipnose é reconhecida e valorizada em importantes centros médicos
Clique no banner e veja o que é e suas principais indicações de uso!
Clique no banner para saber mais sobre Modulação Hormonal Bioidêntica

ENTREVISTA DIVULGADA NO JORNAL NOROESTE - SANTA ROSA HIPNOTERAPIA MÉDICA:UMA NOVA OPÇÃO TERAPÊUTICA PARA A CURA DE DOENÇAS PSICOSSOMÁTICAS E DISTÚRBIOS COMPORAMENTAIS

1.O que são doenças ou sintomas psicossomáticos ? 

Também conhecidas como somatizações, são queixas variadas que se manifestam no somático da pessoa, ou seja, no próprio corpo, mas que tem origem em fatores psicológicos, emocionais, de variadas fontes de stress, perdas, frustrações, etc. que vão se acumulando no intimo da pessoa, ate que se manifesta como uma sensação desagradável ou uma dor mal explicada em alguma parte do corpo. Inclusive, muitas vezes a pessoa percebe que o sintoma aparece, quando fica "nervosa". Por exemplo: gastrite nervosa, enxaqueca, dores "fantasmas", entretanto a origem raramente é reconhecida conscientemente.

2. Por que geralmente é difícil uma pessoa aceitar que esteja com um sintoma psicossomático?
Logicamente que frente a uma determinada queixa, devemos pensar e investigar em primeiro lugar a possibilidade de uma doença orgânica. Entretanto a principal característica da pessoa que esta "somatizando" é ir passando de médico em médico e fazer vários exames e não se encontrar nada, então, se diz popularmente que "é dos nervos" ou do sistema nervoso ou de stress. Muitas vezes até parece que a pessoa se frustra quando o médico lhe diz que esta tudo bem, pelo menos do ponto de vista orgânico, mas o paciente não se conforma, por que o que está sentindo é real. Logo, o seu sofrimento é psíquico, é uma dor emocional, psicossomática.

Também porque em nossa cultura ocidental é muito mais aceitável e tolerável lidar com uma doença visível, palpável ou que seja diagnosticada por um exame tradicional. Geralmente criamos pré-conceitos, crenças limitantes de todas as coisas que ignoramos ou que não percebemos conscientemente. Ainda existe muito tabu e confusão a respeito da diferença entre sofrimento psicológico e doença mental. Ou seja, um doente mental, por exemplo, como o psicótico, perde o contato com a sua realidade, com o meio onde vive e deve ser tratado especificamente pela Psiquiatria. Porém, o sofrimento psicológico é inerente à todo ser humano, e se manifesta de múltiplas e variadas formas.

Freqüentemente encontramos pessoas que vivem anos e anos como que carregando um pesado "Saco de Pedras" nas costas mesmo assim conseguem estudar, trabalhar, formar família, etc. Como a vida seria melhor se essas pessoas descobrissem então uma forma de se livrar "daquilo". 

3. Quais as causas mais freqüentes das doenças psicossomáticas?

Os cientistas da Psiconeurologia afirmam que somente por volta dos 10 anos de idade nosso sistema neurológico esta suficientemente maduro e preparado para nos permitir analisar, criticar, discutir, e refutar as informações que nos chegam de fora. Antes disso, absorvemos tudo que vemos e o que nos dizem como se fossemos esponjinhas. E isso tudo vai ficando armazenado dentro de nos como verdades indiscutíveis e que pode dependendo das circunstâncias, nos trazer dificuldades mais tarde.

Geralmente por trás de um sintoma psicossomático ou de um distúrbio comportamental, existe uma tentativa falida de resolver algo. Desde criança, inconscientemente utilizamos queixas vagas como um mecanismo de defesa para fugirmos de situações desagradáveis, o que pode se tornar uma armadilha perigosa para nós mesmos. É muito mais fácil justificarmos uma falha ou uma derrota quando apresentamos um problema de saúde como é o caso daquela famosa dorzinha de barriga na hora da prova...

A parte consciente da nossa mente é bastante limitada em perceber as origens de uma manifestação sintomática, mesmo porque vivemos em uma sociedade em que desde crianças nos é ensinado que devemos reprimir as emoções, engolir desafetos, abafar um sofrimento mental. Convivemos em uma sociedade muito competitiva com exigências conflitantes que geram ansiedade, medos e insegurança. Quando uma sensação desagradável ou o chamado stress ou quaisquer emoções não reconhecidas ficam "entaladas" dentro de nós, elas podem se expressar através do nosso corpo ( no somático ) de diferentes formas. 

4.O que são distúrbios comportamentais?

São todas as alterações do estado emocional ou comportamental de uma pessoa, segundo as convenções sociais pré-estabelecidas e que sejam consideradas inadequadas ou prejudicais para a própria pessoa e para com quem ela se relaciona. E estes distúrbios se revestem de importância, uma vez que um grande número de doenças orgânicas se originam aí, como os vícios e os mãos hábitos. Por exemplo, alguém se encontre em uma fase depressiva, pode encontra na bebida alcoólica uma forma de alivio ou fuga do problema, o que poderá lhe trazer conseqüências orgânicas mais tarde. Uma ansiedade pode gerar falsa sensação de fome que gera obesidade. O tabagista diz que fumar lhe acalma, mas gera enfisema pulmonar. Um pensamento neurótico repetitivo gerando um transtorno de ansiedade ou uma fobia social com uma limitação importante na vida da pessoa e assim por diante.

5. Quais os métodos utilizados pela Clínica de Hipnoterapia médica para a solução desses problemas apresentados?

Utilizo toda a metodologia científica, já consagrada mundialmente, entre elas técnicas de Programação Neuro-Lingüística, Hipnoterapia Naturalista, técnicas cognitivas-comportamentais , Hipermnésia, ou seja, regressão em um nível consciente, técnicas de relaxamento com reprogramação mental positiva, Estratégias não-convencionais de bio-feed-back. Todas essas técnicas são personalizadas para cada caso. Muitas vezes lançamos mão de medicação alopática tradicional, fitoterapia ou florais de Bach.

Resumidamente posso dizer que ao facilitar o acesso de uma pessoa à um estado focalizado ou ampliado de consciência, abrem-se grandes possibilidades da própria pessoa desencadear os mecanismos de auto-cura, tendo a oportunidade de compreender a origem de seus problemas, trazendo um novo significado e a partir daí, desenvolver a própria solução definitiva, para uma vida mais saudável e equilibrada.

Assim como a mente produz a doença a própria mente tem o poder de curá-la, um fantástico e maravilhoso fenômeno natural de todo se humano, que já esta muito bem documentado através da historia, incluindo-se as mensagens sagradas deixadas por Jesus Cristo. Desde um simples benzimento que surte efeito, até curas ditas milagrosas que ouvimos falar todo dia, nada mais são do que um processo de auto-cura.

Nós e todos os profissionais da área da saúde, sabemos muito bem do chamado efeito placebo dos medicamentos, que a ação destes depende em muito da crença interior do paciente e que a maioria dos medicamentos imita a ação de substancias do próprio corpo.

Quando aprendemos a reconhecer a origem destas sensações desagradáveis, ou melhor, qual o outro nome de uma dor, temos a oportunidade de "digeri-las" e resolvê-las. Uma tomada de consciencia dos problemas e a busca de mudanças saudáveis e positivas em nossas vidas se torna um desafio, um caminho de soluções e não mais ficar esperando que os outros mudem.

Também é uma missão nossa, desmistificar fenômenos naturais, desfazer falsas crenças, limitantes das pessoas, facilitar a conscientização de processos inconscientes e apagar superstições que até hoje atrapalham a evolução da humanidade. Portanto a Hipnoterapia é um aprendizado de vida e de amor consigo mesmo. 

7. O Sr. utiliza hipnose em seus pacientes?

Bem, o termo hipnose como é popularmente conhecido está desgastado e em desuso um vez que está relacionado à apresentações de palco, sessões de charlatanismo com fins recreativos ou de ilusionismo, o que não é o caso, sob hipótese alguma da Ciência Médica. Portanto, a partir do conhecimento científico que temos hoje acerca do que somos e como funcionamos foram desenvolvidos uma série de técnicas terapêuticas, várias delas derivadas da hipnose tradicional e que nos fornece instrumentos saudáveis e poderosos para solução destes problemas aqui apresentados.

8. Quais as principais indicações para uso dessas técnicas da Hipnoterapia médica?

Depressão de todas as origens, incluindo depressão pós-parto, Síndrome do Pânico, transtorno da ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo (T.O.C.), fobias, Strees pós-traumático.

Praticamente todos os sintomas não diagnosticados e não resolvidos pela medicina tradicional como dores "fantasmas", sensações desagradáveis, enxaquecas tensionais, gastrite nervosa, t.p.m., insônia, distúrbios sexuais como frigidez, ejaculação precoce, vaginismo, impotência psicogênica, abandono de vícios e maus hábitos, desvios do comportamento desde a infância (como enurese noturna) e adolescência (incluindo D.D.A.H.- distúrbio do déficit de atenção mais hiperhatividade), transtornos odontológicos como bruxismo, na complementação de tratamentos de doenças orgânicas que apresentem dor crônica intensa de difícil melhora. 

Dr Gentil Brandão de Souza - Clínico Geral e médico hipnoterapeuta. Há doze anos vem estudando os distúrbios comportamentais e as doenças psicossomáticas.